Medidas para um condomínio mais seguro

8 medidas para um condomínio mais seguro

Atualmente, uma das grandes preocupações das associações de bairro e dos síndicos é ter um condomínio mais seguro. A segurança, seja em casa, na rua ou no trabalho, é um dos temas mais discutidos no mundo. Não à toda as pessoas tendem a adotar medidas para se sentirem mais seguras, e nos condomínios não é diferente.

Existem medidas essenciais que todos os moradores de um condomínio devem seguir, para que transtornos relacionados à segurança sejam evitados. Existem medidas que somente o síndico, a administradora de condomínios ou a assembleia de condomínio podem adotar. Para que a segurança neste local seja feita de forma correta, veja 8 medidas para um condomínio mais seguro!

Crie um plano de segurança para condomínios

A criação de um plano de segurança é uma medida essencial para tornar o condomínio mais seguro. E não é somente adquirindo equipamentos eletrônicos, efetuando ronda ou instalando sistemas de alarme que ele é feito. Ele envolve mais do que as ferramentas de inibição de invasores, e analisa analisa o perfil do edifício, sugerindo o que é necessário para mitigar ou minimizar as falhas.

Para criar um plano de segurança, é preciso:

  • Analisar riscos e diagnósticos para identificar pontos fortes e fracos do condomínio e, a partir disso, estabelecer as ações mais adequadas para lidar com as vulnerabilidades;
  • Simular cenários de entrada e saída do condomínio para ver o comportamento do porteiro;
  • Adquirir equipamentos e serviços necessários para ter um condomínio mais seguro;
  • Elaborar um manual de normas e procedimentos de segurança;
  • Treinar todos os usuários do condomínio.

Analise o entorno do condomínio

Para tornar um condomínio mais seguro, é preciso que o “ecossistema” em que ele está inserido também trabalhe neste sentido. Seja bairro, região ou loteamento, a segurança do condomínio depende do entorno em que se insere. Por isso, é é preciso analisar quais as vulnerabilidades e as áreas de risco para inserir essas considerações no plano de segurança.

Neste ponto, é preciso verificar, por exemplo, se as vias de acesso estão com boa iluminação e qual a taxa de criminalidade na região. A partir desses dados, é interessante compartilhar com os vizinhos e pedir auxílio das autoridades policiais, de modo a tomar medidas preventivas que beneficie a todos, inclusive o condomínio.

Tenha cuidado ao contratar funcionários e prestadores de serviços

O síndico ou a administradora de condomínio, na hora de contratar funcionários e prestadores de serviços, não podem somente considerar a qualidade e a capacitação. É preciso que eles tenham boa conduta e reputação, além de estarem treinados para situações diversas no condomínio. Pedir os antecedentes e as referências pode ser uma boa medida

Isso será importante para evitar a rotatividade de funcionários no condomínio, o que coloca em risco a segurança de todos. O síndico pode orientar os moradores a adotarem a mesma prática em relação a seus empregados.

Oriente seus funcionários

Todos os funcionários podem contribuir para tornar o condomínio mais seguro. Porém, especialmente o porteiro deve ser orientado por lidar diretamente com visitantes, entregadores e prestadores de serviços. Algumas práticas de segurança que ele deve ter em mente são:

  • Em qualquer situação, obtenha autorização do morador para a entrada de terceiros;
  • Mantenha todos aqueles que não fazem parte do dia a dia do condomínio do lado de fora no primeiro momento, até a liberação do morador ou do síndico/zelador, quando for o caso;
  • Oriente os moradores a receberem as encomendas na portaria, preferencialmente;
  • Permita que os prestadores de serviços entrem no condomínio somente após a identificação e a anotação da carteira de identidade e funcional;
  • Tenha especial atenção a entrada e saída do morador;
  • Abra os portões somente após verificar as proximidades;
  • Mantenha as entradas fechadas nos horários de recolhimento de lixo e de limpeza das áreas externas;
  • Evite dar qualquer informação sobre os moradores.

Instale equipamentos de segurança

Outra medida fundamental para tornar o condomínio mais seguro é instalar equipamentos de segurança para controlar as áreas do condomínio. Principalmente na portaria e na garagem, que são os pontos de entrada e saída de pessoas, eles possuem papel especial.

Na hora de escolher os equipamentos, o síndico deve avaliar quais realmente tornarão o condomínio mais seguro e quais sabem dentro do orçamento. Há inúmeros sistemas de segurança que fazem um ótimo trabalho, mas sua eficiência depende também da boa orientação das pessoas que os utilizarão. E uma boa gestão dos equipamentos também faz a diferença.

Podemos citar alguns equipamentos que podem ser adotados no condomínio:

  • Circuito fechado de TV;
  • Passa-volumes para encomendas;
  • Botão de pânico, que funciona como um sistema de comunicação entre prédios;
  • Monitoramento 24 horas com central de alarme e botão de pânico silencioso;
  • Cerca elétrica e proteção de perímetro;
  • Seguro condominial com cobertura para incidentes de segurança;
  • Ronda.

Invista em estrutura física de segurança

Com as soluções tecnológicas para condomínio, muitos síndicos se esquecem de investir na estrutura física de segurança. Esse é um grande risco, porque portões, guarita, muros e cercas são alguns equipamentos necessários para garantir que as invasões sejam menos recorrentes.

Essas estruturas nem sempre estão presentes e, quando existem, costumam ser inadequados para a realidade atual, que é mais violenta. Nos prédios novos, vê-se grande preocupação com a estética e se esquece de considerar aspectos básicos de segurança. Nestes pontos de infraestrutura, é comum contar com o auxílio de uma consultoria especializada em segurança para pensar projetos arquitetônicos que garantam a segurança do condomínio. A guarita deve ser blindada, ter boa visão dos acessos e contar com um sistema passa-volume, por exemplo. Coisas simples que tornam o condomínio mais seguro.

Estabeleça procedimentos de segurança

Seu condomínio tem procedimentos de segurança bem definidos? Há orientações para todos os usuários? A formalização desses procedimentos é fundamental para tornar o condomínio mais seguro e evitar os riscos. Porém, a dificuldade é que ele demanda mudança de comportamento de todos.

Infelizmente, um “incentivo” para que os procedimentos sejam cumpridos é estabelecer punições para quem descumpre as normas de segurança fixadas. Por exemplo: se existe identificação para os moradores (adesivos para veículos, cartão de identificação para acesso ao condomínio), ela precisa ser utilizada. Caso contrário, o morador pode receber uma advertência.

A conscientização de condôminos e o treinamento de funcionários sobre os procedimentos é prioridade, já que a falha humana é o maior fator de risco para a segurança do condomínio. Já percebeu que existem violações a condomínios que possuem um sistema eletrônico impecável e um eficiente controle de acesso? Normalmente, o problema é o descumprimento de regras pelo condômino.

Conscientize moradores e demais usuários

Se o seu condomínio realizar algumas assembleias de condôminos com frequência para discutir questões relacionadas à segurança do condomínio, já deu um grande passo. A conscientização dos moradores nestas reuniões é o que faz com que as outras medidas para tornar o condomínio mais seguro sejam eficazes.

Não há como fazer um bom controle de visitantes no condomínio sem demonstrar aos moradores que é importante deixar a lista de convidados com o porteiro em caso de festas e confraternizações diversas. Os moradores devem colaborar ativamente para tornar o condomínio um espaço de convivência seguro.

Fazer uma cartilha com algumas dicas pode ser eficiente. Veja algumas:

  • Seja cauteloso ao autorizar a entrada de entregadores, visitantes e prestadores de serviços;
  • Receba a encomenda na portaria;
  • Não abra a porta para estranhos;
  • Tenha atenção ao entrar na garagem ou sair dela;
  • Tranque corretamente seu veículo e não deixe objetos à vista dentro dele;
  • Evite deixar chaves na portaria ou com o zelador;
  • Proteja as áreas de acesso (moradores do 1º ou 2º andar);
  • Busque conhecer os procedimentos de segurança sugeridos pela administração e pelos funcionários;
  • Seja compreensivo quanto às normas e às exigências feitas pelo síndico sobre documentos de acompanhantes do morador.

São práticas como estas que contribuem para tornar o condomínio mais seguro. O importante é que todos os usuários locais tenham consciência destas medidas e, mais do que isso, apliquem-nas no dia a dia do condomínio. Isso ajuda a evitar transtornos e situações desagradáveis.

Para ajudar a reunir os dados necessários de moradores, funcionários e prestadores de serviços, e efetuar ações de forma mais assertiva, basta contar com soluções simples, como os aplicativos que vários síndicos utilizam na gestão. Conheça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *