Medidas preventivas para chuva de fim de ano: como o condomínio deve se preparar?

Medidas preventivas para chuva de fim de ano: como o condomínio deve se preparar?

Existem épocas do ano em que a incidência de chuvas é mais intensa: muito comumente, em determinadas regiões, esse período se dá ao fim do ano, e exige que condomínios estejam preparados para lidar com o grande volume de água proveniente das chuvas. 

Pensando nisso, decidimos criar um conteúdo com algumas dicas de principais cuidados e medidas preventivas para chuva de fim de ano.

Continue a leitura.

Possíveis problemas causados pela chuva em condomínios

A temporada de chuvas pode trazer diversos imprevistos e problemas para os condomínios. É necessário que os síndicos, administradoras e moradores estejam cientes para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas para evitá-los e reduzir, caso aconteçam, os danos no local. 

  • Fissuras ou trincas na fachada: uma fachada em estado de má conservação pode permitir que a água se infiltre nas paredes dos apartamentos. Em alguns casos, a água pode, inclusive, adentrar a residência de um morador.
  • Calhas e ralos entupidos: o aumento das chuvas pode escancarar problemas de limpeza periódica nas vias de escoamento de água. Quando calhas e ralos não são devidamente higienizados, o acúmulo de resíduos pode levar a uma inundação.
  • Pane nos elevadores: é fundamental que a laje esteja devidamente preparada para receber o grande volume de água proveniente das chuvas. Em caso de infiltração, essa água poderá se acumular na “casa de máquinas” dos elevadores, causando danos ao aparelho e um possível pane.
  • Para-raios mal instalados: as concessionárias de eletricidade costumam lembrar seus clientes sobre a necessidade de manter o sistema atualizado. Esse cuidado irá ajudar a manter o prédio seguro.
  • Jardins com vazamentos: não é difícil encontrarmos prédios em que as garagens ficam abaixo dos jardins. Nesses casos, é necessário que a impermeabilização tenha sido feita corretamente para evitar a infiltração da água da chuva e possíveis danos na estrutura do subsolo.
  • Lajes com vazamentos: como dito anteriormente, é necessário que a laje esteja devidamente preparada para receber esse volume de chuvas. Se houverem vazamentos devido à má impermeabilização, a água poderá se infiltrar e atingir os apartamentos. Em alguns casos, nos mais graves, poderá inclusive afetar a estrutura, exigindo uma reforma muito mais complexa.
  • Queda de energia elétrica durante as chuvas: não é raro encontrarmos situações onde a energia elétrica sofre queda em períodos de grandes chuvas. Nesses momentos, é comum que galhos caiam em cima da fiação elétrica, o que compromete o bom funcionamento do prédio. Para evitar, é necessário ter um gerador capaz de fornecer energia para o prédio em caso de emergências. 

Quais são as medidas preventivas para chuva de fim de ano?

Quais são as medidas preventivas para chuva de fim de ano?

Para evitar que alguns problemas ocorram durante os períodos de chuva, algumas medidas são fundamentais. É interessante que o síndico ou administradora realize um checklist para garantir que todos os cuidados estão em dia.

Antes da temporada de chuvas, é interessante:

  • limpar os ralos, grelhas e calhas nos subsolos, térreo e barrilete;
  • revisar os quadros de elétrica;
  • revisar as bombas responsáveis pela retirada de água do prédio, como bombas de poços;
  • realizar a revisão do gerador, incluindo a troca de óleo, troca dos filtros e limpeza do tanque de combustível;
  • revisar o poço do elevador para conferir se não há infiltração na estrutura, água empoçada ou outros possíveis problemas;
  • realizar a limpeza do poço do elevador;
  • garantir que as placas de segurança conforme a NBR 5419/2015 estejam fixadas nas áreas externas dos edifícios;
  • conferir se as coberturas, toldos, telhados, luz piloto e antenas estão devidamente instalados e em bom estado;
  • conferir o encanamento do prédio;
  • limpar a tubulação de água e esgoto, caixas de esgoto e drenos dos jardins;
  • conferir se existem infiltrações na garagem, térreo e topo dos prédios;
  • verificar o sistema de iluminação de emergência, para o caso de falta de energia;
  • além da iluminação, também é preciso verificar as possibilidades de medidas de segurança de emergência em caso de queda de energia;
  • a portaria, caso seja virtual ou remota, assim como o portão elétrico / eletrônico precisam ser verificados e garantidos do abastecimento de um gerador em caso de falta de energia elétrica durante as chuvas;
  • conferir a saúde das árvores e arbustos do edifício e dos arredores, e quando necessário, solicitar as devidas podas junto à prefeitura. Em caso de árvores com risco de queda, é fundamental acionar os órgãos responsáveis para verificação e remoção, se necessário.

Tomando os devidos cuidados, é possível evitar que grandes problemas aconteçam. Em alguns casos, mesmo com todas as medidas preventiva tomadas, alguns detalhes podem fugir do controle.

O importante é que o síndico e a administradora atuem de forma rápida e eficiente para evitar que o problema cresça e que ele se repita novamente.

Uma das formas mais simples de prevenir é manter as manutenções preventivas realizadas em dia. Para isso, a melhor maneira é ter um calendário com lembretes para que esses compromissos não passem despercebidos.

Através da plataforma da Condobox você consegue cadastrar todas as tarefas e obrigatoriedades do condomínio e receber alertas sempre que esses detalhes exigirem atenção.Aproveite para realizar o nosso teste gratuito de 30 dias e descobrir como podemos te ajudar a organizar a rotina do seu condomínio.

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *