Quero ser um síndico profissional. O que fazer?

A figura do síndico profissional está sendo cada vez mais requisitada por condomínios de todo o país. Isso está ocorrendo devido aos grandes desafios que um condomínio exige e também com o aumento no número de unidades. Se engana quem acha que só os grandes condomínios requisitam a figura do síndico profissional. Os condomínios de pequeno porte também não dispensam a figura desse profissional.

Com o crescimento do mercado de síndicos profissionais, a busca por aperfeiçoamento também aumenta. E essa procura é feita por profissionais de vários ramos de atuação. A profissão de síndico profissional ainda não é regulamentada, mas existem diversos tipos de cursos presenciais e à distância e com durações variadas.
Mesmo com o curso básico, para se tornar um bom profissional do seguimento é necessário ter certo conhecimento em outras áreas como direito, noções de engenharia, tecnológica, financeira, etc. Ou seja, como a responsabilidade legal de um condomínio é toda voltada para o síndico, é preciso ter base e confiança no trabalho a ser desenvolvido e entender como funciona esse mercado e suas exigências.
Se você pretende se tornar um síndico profissional, o ideal é que analise e participe da gestão do seu próprio condomínio, participando de assembleias, reuniões do conselho, atividades relacionadas ao bom relacionamento com condôminos, além do conhecimento do trabalho realizado pela administradora de condomínio e do sistema de gestão de condomínios que os auxilia.
Todas as tarefas acima são essenciais para a formação de um bom síndico profissional para que se estabeleça um bom relacionamento no ambiente condominial e também para manter a qualidade ao longo de todo o trabalho.

Este profissional deve ser em formato de pessoa jurídica e emitir sua nota fiscal para recebimento de seus honorários, não gerando assim o vínculo empregatício.

A prestação deste serviço é realizada dentro e fora do condomínio, em visitas semanais e também em serviços de escritório, como atendimento aos moradores, orçamentos, reuniões, etc. O custo do serviço é analisado através da quantidade de horas de trabalho demandada por semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *